Em meados de 2016, Michele Navarro, da editora Lamparina Luminosa, me procurou interessada nos textos que eu publicava na internet. Nos conhecemos no espaço cultural Casa Elefante, no centro de SP e lá ela me fez uma proposta muito generosa: escrever no meu tempo e ritmo, sobre o que eu quiser e eles iriam ver de publicar. 

Nos meses seguintes até fevereiro de 2017 foram muitos encontros, trocas e aos poucos o livro foi tomando a única forma que poderia ter, Marmitas Frias. “Prosônicas” sobre a memória e a cidade.

Eu não barganho com a sorte e sabendo do meu tempo bom, colei no artista Oga Mendonça e o chamei pra fazer a capa do livro que, como podem apreciar, ficou de encher o pote dos olhos.

O lançamento foi em junho de 2017 na livraria Tapera Taperá e é possível comprar através desse link.

capa-terto (1)
DSC_0510
DSC_0512
DSC_0519
DSC_0522